Essa foto do piso da cozinha da Casa Rui Barbosa me fez pensar no quanto é difícil aceitar a torteza (eu sei, neologismo) das coisas, em casa me pego sempre movendo e rearranjando milimetricamente as coisas pra ficarem certinhas, perfeitas, obras sem fim, móveis novos, quadros, tecidos, tudo deve estar em seu lugar.

Mas, a vida não é assim, né? ela é torta, estranha, confusa e perigosa… ainda bem que a gente tem a arte pra nos lembrar da beleza da imperfeição, da tal torteza das coisas. afinal, é delas que a gente lembra, no fim das contas.

*: