Somos bombardeados diariamente com invenções mirabolantes que prometem deixar nossa vida ainda mais simples. Usualmente classificamos esses objetos práticos como design, mas o que eles são quando perdem sua função, quando não mais cumprem seu papel?

Essa é a questão que nos coloca a arquiteta grega Katerina Kamprani, com sua coleção “The Uncomfortable”, em que faz pequenas alterações em objetos cotidianos, os tornando praticamente inúteis. O que, a princípio, parece brincadeira nos coloca uma questão há muito debatida, onde fica a tênue linha que separa o design e a arte.


Ontem, fui a uma palestra de moda e arte em que foi discutida a questão de moda ser arte. Na minha opinião, moda não é arte, mas pode ser. Confuso? Vamos com calma. A arte não tem função, objetivo, ela é contemplativa, sensorial, enquanto a moda tem uma clara função, a de vestir. Assim, num primeiro momento, ela realmente não é objeto artístico, contudo, dependendo de uma série de fatores, ela pode ser musealizada e, como uma casa antiga ou objetos cotidianos, se transformar em arte e ser exibida como tal. Enfim, nem tudo é arte, mas tudo pode ser arte. E os objetos de Katerina certamente são.

Quer saber mais sobre os desconfortáveis objetos?

Acesse The Uncomfortable

beijocas.