Tem muito mais que compras na cidade de Miami. Vem saber sobre a cena artística que está bombando nos EUA!

É impressionante como, nem mesmo, os mais cultos conseguem disfarçar um “ui!” quando mencionamos nosso próximo destino: Miami. Acredite! Não só de compras vive a ensolarada cidade. Moradia eleita de vários artistas e galeristas, o mercado e a cena de arte da cidade vêm crescendo muito. E, com sorte e trabalho o Rio de Janeiro vai fazer ainda mais bonito.

Pra quem não sabe, o território era formado, basicamente de selva e pântanos. Houve, então, um trabalho de aterramento para assentar os pioneiros (te lembra algum lugar?). Pertencente aos espanhóis, em 1821, foi anexada pelos estadunidenses sob a alcunha de Flórida. Somente em 1891, passou a ser ocupada por algumas famílias influentes, que perceberam seu potencial, em especial, Julia Tuttle, responsável por organizar a chegada da ferrovia à região.

O investidor Carl Fisher, em 1913, construiu uma ponte de madeira que ligava o continente à ilha de Miami Beach e, a partir daí, a cidade só cresceu. Infelizmente, em 1926, um furacão destruiu grande parte dos empreendimentos e, com a crise de 29, somente em 1935, as áreas como o Art Déco District foram criadas.

A pouco mais de 360 km dali se encontra a ilha de Cuba. E, com a tomada do poder por Fidel Castro, muitos cubanos fugiram para os EUA. Grande parte deles chegou em Miami (Já viram Scarface?). E foi daí que a latinidade deliciosa, pela qual é conhecida, surgiu.

Uau, que viagem, hein? Miami é uma terra de muitas reconstruções e identidades e, paralelamente ao Rio de Janeiro, é cosmopolita, multi e calorosa.

A Miami Design Preservation League é responsável por organizar caminhadas pelo Distrito Art Déco, enaltecendo a beleza arquitetônica do espaço e, por consequência, incentivando sua preservação e manutenção, o que raramente ocorre no Brasil. Tomemos como exemplo o Aterro do Flamengo, no Rio, imenso e maravilhoso, que não pode ser frequentado à noite por causa do descaso e da crescente violência. Ou mesmo, os prédios Art Déco da Praia do Flamengo. Quantos tours você já viu caminhando por esses espaços?

O Art Basel, por sua vez, levou a Miami uma feira que movimentou e reestruturou a cidade em torno da arte contemporânea desde sua primeira edição em 2002. Hoje, Wynwood Walls são conhecidas pelos seus muros grafitados, galerias e espaços de arte, com ocupações noturnas da rua, todo mês.

Por fim, chegamos ao Porto Maravilha, que está sendo reavivado com museus e centros de cultura como o Museu de Arte do Rio, os crescentes eventos na Pedra do Sal e o Museu do Amanhã  (que será inaugurado em breve), pra citar alguns. Acompanhados por um calçadão e uma ciclovia que ligarão a Praça XV à Praça Mauá pela orla (que há anos pertence à Marinha e não é, minimamente, vista pelos cariocas e visitantes).

Área de entrada de mercadorias e pessoas de todas as partes do mundo, o Porto tem sido negligenciado tanto pelo Governo quanto pela iniciativa privada e a população. O Elevado da Perimetral, de 1960, criou uma sombra contínua na região que afastava os caminhantes, além de bloquear a vista litorânea da área. Em 2013, porém, começou a derrubada da enorme construção, trazendo de volta a luz e a amplidão àquele espaço.

Cabe agora aos cariocas ocupar e ressignificar a região, percebendo-a como sua, como espaço de criação e utilização para os mais diversos fins, sejam educacionais, recreativos ou comerciais. Sigamos o exemplo de Miami, próxima a nós em tantos sentidos, ainda assim, anos luz à frente no que diz respeito à  utilização da arte e do turismo como mecanismo de mudança e afirmação da cultura.

Então, pense duas vezes antes de formar pré-conceitos sobre espaços ainda não explorados, todo lugar tem seu encanto, sua magia e cultura próprios que, muitas vezes, vão virar a sua cabeça.

Em agosto, o Sinestesia parte pra Miami pra pesquisar mais a fundo sobre esse fenômeno que a transformou em capital de arte e cultura. Pra que possamos fazer ainda melhor por aqui. E, caso você esteja se preparando pro próximo Art Basel Miami em dezembro, vamos traçar várias rotas legais pra você conhecer a cidade de forma beeem sinestésica, com menos compras e mais cultura.

Já foi a Miami? Deixa sua opinião ou sugestão aqui! Queremos saber e compartilhar com vocês, sempre!

Beijocas!

Fontes: