O que fazer quando a arte de rua é apropriada pelos magnatas que costumavam detestá-la? Para Blu, apagá-las!

No próximo dia 18, no Museu da História de Bolonha, na Itália, começa a exposição “Street Art: Banksy & Co. – L´Arte allo Stato Urbano” que abrigará grafites retirados das paredes da cidade com a proposta de resguardá-los e colocá-los em exposição, transformando os atos de rebeldia e crítica à sociedade em peças de museus.

blu blog

 

Financiada por uma fundação pertencente ao mais importante banco de Bolonha, a exposição está sendo fortemente criticada pelo artista de rua Blu, que apagou todos seus trabalhos pela cidade, alguns com 20 anos de existência. Conhecido por seu foco anti capitalista, Blu fez questão de deixar sua posição clara em seu blog.

“Depois de ter denunciado e criminalizado o graffiti como vandalismo, depois de ter oprimido a cultura que o criou, após ter evacuado os locais que funcionavam como laboratórios para os artistas, agora Bolonha quer se apoderar e posar como os salvadores da arte de rua.”¹

Além da exposição, corretores imobiliários têm usado as obras a céu aberto para vender condomínios, sem contar os passeios guiados que valorizam imóveis das classes mais altas. Não é a primeira vez que o artista (pode chamar assim?) apaga seus murais para evitar que se tornem instrumentos de apoio ao capitalismo, já tendo feito isso em Berlim, na Alemanha e em outras cidades da Itália.

 

Blu refuse la privatisation de ses oeuvres-03-511

 

O que você acha disso? Concorda com os argumentos de Blu, ou acha que ele deveria se apropriar da apropriação museológica dos grafites? Talvez aproveitar a visibilidade pra dar um tapa na cara da sociedade? Ou ele está fazendo certinho assim?  Hmmm, muito a se pensar, ein… Comente!

¹ Idea Fixa

ENGLISH

What to do when street art is appropriate by the rich people who use to despise it? For Blu, erase them!

At Bologna History Museum, in Italy, the exhibit “Street Art: Banksy & Co. – L´Arte allo Stato Urbano” opens next 18th showing street art that was taken from the city’s walls promising to keep them from harm, transforming rebellion acts into museum pieces.

blu blog

Financed by a foundation that belongs to Bologna’s most important bank, the exposition is being strongly criticized by Blu, that erased all his works troughout the city, some of them, 20 years old. Known for his anti capitalist motives, the artist made a post on his blog (up).

“After denouncing and criminalizing graffiti as vandalism, after opressing the culture that created it, after evacuating the places that worked as artists’ laboratories, now, Bologna wants to take over and pose as street art saviors.”

Besides the exhibit, real estate brokers have been using street art to sell condos and create guided tours to increase the value of high class properties. It’s not the first time the artist erases his murals to avoid them from becoming capitalist supporters, he has done that with his work in Berlin, Germany, as well as other Italian cities.

 

Blu refuse la privatisation de ses oeuvres-03-511

 

What do YOU think about that? Do you agree with Blu’s arguments or you think he should appropriate the museum appropriation of graffiti? Maybe it is a good opportunity to slap society in the face. Or is he doing that just fine by erasing it? Well, it’s a lot to consider. Comment!

 

REFERENCES