Quem nos acompanha sabe que, normalmente, publicamos conteúdos criados por nós. Mas, acreditamos na plataforma como espaço de curadoria e divulgação daquilo que acreditamos ser relevante para a busca de quem nos acompanha.

Assim, apresentamos nossa primeira tradução (por isso o símbolo T, que sempre acompanhará as postagens desse tipo) de conteúdo.

Pra reforçar a luta feminista, nossa tradução se dará com terminações femininas.

Texto Original em Inglês por Thryn

Podemos concordar que gatas gastam a maior parte de seu tempo pensando em problemas complexos de formas inovadoras. Temos tanto a aprender com elas! Após anos de cuidadosa observação, extrai¹ e analisei algumas de suas metodologias chave para ajudar na resolução de nossos problemas.

Pense dentro da caixa

Se a gata cabe, ela senta. É simples assim. Gatas sabem como escanear os problemas adequadamente. Durante quatro longos anos de escola de arte eu ouvia o mesmo mantra diversas vezes: “pense fora da caixa.” Somente após vários anos, muitos problemas complexos, e duas gatas, eu percebi que péssimo conselho era esse.

Você não consegue resolver bem algo apenas pensando fora da caixa. Você tem que entender a caixa: Quão grande ela é? É de papelão? De tecido? Dentro dela tem plástico bolha ou aquelas bolsas de ar super sem graça? Design Thinking requer entendimento das restrições.

Resultado de imagem para cat in the box

Empurrando Limites

Pensar dentro da caixa não significa que você tenha que ficar dentro da caixa. Gatos não se limitam às leis da física no que se refere a caber em caixas. Eles assumem sua forma líquida e, graciosamente, permitem que suas laterais fofinhas se esparramem sobre as bordas. A chave para o seu sucesso é flexibilidade e priorização.

Quando confrontados com uma questão ambígua ou complexa como, por exemplo, uma caixa que parece muito pequena, o gato prioriza as partes que devem entrar para que ele atinja estabilidade e equilíbrio. Gato e caixa se tornam um. A lição óbvia aqui é que, uma vez compreendidas as restrições de um problema, você sabe até onde empurrar para alcançar seus objetivos.

 

Eu nunca conheci um gato que não demonstrasse profundo conhecimento em economia de mercado.

Seja Preguiçosa

Você já tentou fazer uma gata puxar um mini arado de jardim? Ou reuniu nove gatas e as organizou no trenó, dando o comando para que puxassem? Eu já! E posso te dizer, elas não se moveram. Ficaram sentadas me olhando como se eu fosse idiota. Algumas deitaram na neve, duas ou três me ignoraram enquanto lambiam umas às outras e o time do fundão começou a brincar entre si.

Gatas não gostam de trabalho pesado. Elas não labutam pela labuta. Elas avaliam custos, benefícios e impacto para fazer as trocas apropriadas. Eu nunca conheci uma gata que não demonstrasse um profundo conhecimento de economia de mercado. Isso remonta a suas raízes ancestrais. Evidências sugerem que as primeiras gatas se domesticaram ao perceber o valor de trocar chamegos por uma fonte fixa de comida.

Quando você é dirigida pela preguiça, você é forçada a olhar seus recursos a fundo e fazer trocas.

Gatas não se desencorajam pelo risco de parecerem bobas ou serem motivo de chacota por explorarem e experimentaram o ambiente.

Não tenha medo de fracassar

Imagem relacionadaGatas fracassam o tempo inteiro. Elas abraçam o erro com um nível admirável de vigor e estilo impecável. Não se desencorajam pelo risco de parecerem bobas enquanto experimentam e exploram o ambiente, seja em busca da posição perfeita para dormir ou uma solução para o aquecimento global (acredito que ambas sejam posições viáveis).

Consequentemente, há mais de trezentas mil horas ² de vídeos de ousadias felinas hilárias no Youtube. São tão bem sucedidas em fracassar que correm o risco de realmente falhar em fracassar.

Sente-se em um círculo

É fato que se você criar alguma espécie de círculo no chão, gatas sentarão nele. Eu não tenho certeza do que isso significa, mas, dado tudo que falamos até agora, acredito que a razão para isso deve estar pairando sobre nossas cabeças agora.

Fique à vontade para abrir essa discussão nos comentários. Acredito que, se colocarmos nossas mentes para trabalhar coletivamente e aplicar design thinking, podemos desvendar esse mistério.

¹ Seguimos a escrita original, em primeira pessoa.

² Não é uma estatística real.

ORIGINAL IN ENGLISH Design Thinking Lessons From Our Cats